É uma técnica simples. Mediante a retirada de sangue da veia E SUA IMEDIATA APLICAÇÃO NO MÚSCULO, AUMENTA EM QUATRO VEZES O NÚMERO DE MACRÓFAGOS NO ORGANISMO. São os macrófagos QUE FAZEM A LIMPEZA DE TUDO, eliminando bactérias, vírus e câncer.
publicado por auto-hemoterapia | Quarta-feira, 22 Outubro , 2014, 17:21
Carta enviada aos participantes da campanha JUNTOS CONTRA O EBOLA, do Avaaz  
 
Quarta-feira, 22 de outubro de 2014 
 
Voluntárias(os): 
 
Segue para conhecimento informações sobre auto−hemoterapia, técnica que cura ao aumentar a imunidade em quatro vezes, a custo de uma seringa de aplicar injeção. 
 
É uma das soluções para conter ou vencer o ebola. 
 
Proveito. 
 
Ubervalter Coimbra,  
 
Brasil. 
 
AUTO−HEMOTERAPIA É ARMA PARA TRATAR EBOLA  
 
 
Quarta−feira, 30 de julho de 2014  
 
AUTO−HEMOTERAPIA É ARMA PARA TRATAR EBOLA  
 
A auto−hemoterapia é eficaz no tratamento do ebola. O ebola atingiu pessoas em quatro países: na Guiné, em Serra Leoa e na Libéria, já de forma epidêmica, e a Nigéria, o país mais povoado da África. A doença já matou 672 pessoas, de 1.201 infectados. A auto−hemoterapia cura ao aumentar a imunidade em quatro vezes e custa uma seringa de aplicar injeção.  
 
“Se contraído, o Ebola é uma das doenças mais mortais que existem. É um vírus altamente infeccioso que pode matar mais de 90% das pessoas que o contraem, causando pânico nas populações infectadas.  
 
A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) tratou centenas de pessoas com a doença e ajudou a conter inúmeras epidemias ameaçadoras. ...”, informam os Médicos Sem Fronteiras emhttp://www.msf.org.br/conteudo/74/ebola/
 
Os vírus, as bactérias e os fungos estão entre as doenças tratadas pela auto−hemoterapia, como comprova a vasta literatura sobre a técnica. Mas a Organização Mundial de Saúde (OMS) ignora o tratamento, o que prejudica milhões de pessoas em todo o mundo. A OMS informa que não há vacina nem tratamento específico para o ebola.  
 
Contudo, o autor de “Autohemotherapy Reference Manual: Definitive Guide & Historical Review, From Bloodletting to Stem Cells”, Stuart Hale Shakman, PhD, aponta o caminho da aplicação da auto−hemoterapia para tratar não só o ebola, como também a malária e a aids.  
 
'... As características de segurança, baixo custo e eficácia imediata da auto−hemoterapia, indicam sua grande utilidade contra um espectro enorme de doenças, onde o organismo invasor ou causador se dissemina através do sangue, sem levar em conta ou independentemente da origem ou da identidade do organismo causador, incluindo malária, ebola e aids (Foi indicada a aplicação intramuscular, de auto−hemoterapia, conforme resultados obtidos, favoravelmente, contra a malária e a Aids, como forma alternativa). ...'. A informação está em 'AUTO−HEMOTERAPIA − A PICADA MÁGICA?', excerto do seu manual. Ver sua versão em português e inglês emhttp://www.instituteofscience.com/AUTOHEMOT ERAPIA_A_PICADA_MAGICA_Stuart_Shakman.pdf Shakman é diretor executivo do Instituto de Ciências de Santa Mônica, Califórnia, nos Estados Unidos da América (USA).
 
Como diversos outros autores, o PhD afirma que a auto−hemoterapia deve ser aplicada em todos os primeiros atendimentos médicos nos pronto−socorros e, em comunidades carentes e áreas remotas, como medida preventiva. Nos pronto−socorros, antes mesmo do diagnóstico da doença que atinge o paciente. A técnica é eficaz, barata e simples.  
 
O médico brasileiro Luiz Moura tornou−se o maior divulgador da auto−hemoterapia no mundo ao dar uma aula sobre o tema. Em entrevista gravada em DVD, depois divulgada pela internet, ele explica o que é a técnica de forma didática. Em resposta sobre como a auto−hemoterapia atua nos surtos epidêmicos, afirma: 'Nisso funcionaria, aí seria de grande valor, de uma economia enorme. Porque hoje as pessoas que estivessem já atacadas pelo mal, por um desses males, elas teriam a sua recuperação, a restauração da saúde mais acelerada, seria menos tempo de doença, porque quem cura realmente é o sistema imunológico. E as pessoas que ainda não se contaminaram, se estivessem sobre a ação da AH e com o seu sistema imunológico ativado, elas não pegariam, não teriam a doença, então evitaria que a doença se espalhasse num número maior de pessoas e com um detalhe importante, quando a doença vai se replicando de uma pessoa a outra, o micróbio ou o vírus se torna cada vez mais ativo e mais virulento, a replicagem é que aumenta a resistência do vírus ou bactéria, (.) Mas aí teria que se uma prática corrente, todo mundo fazendo a AH (.). ...'. Ver entrevista do médico sobre auto−hemoterapia emhttp://www.youtube.com/watch?v=Ui6c5zRItC4
 
A auto−hemoterapia foi aplicada pela primeira vez em 1898 e foi amplamente utilizada até a década de 50 do século passado. Depois, para vender os novos remédios, os laboratórios farmacêuticos realizaram campanha mundial que levou ao esquecimento da auto−hemoterapia pela maioria dos profissionais de saúde. A OMS igualmente prefere ignorar os estudos sobre a importância e eficácia da auto−hemoterapia.  
 
Jornalista.  
Ubervalter Coimbra  
64 anos − Vitória − ES 
 
 
Ubervalter Coimbra, Brasil agora há pouco 
 
 
 
Ubervalter Coimbra 
64 anos 
- Vitoria - ES

http://hemoterapia.org/informacoes_e_debate/ver_< /wbr>opiniao/carta-enviada-aos-participantes-da-campanha-juntos-contra-o.asp 


mais sobre mim
Outubro 2014
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
23
25

27
28
29
31


pesquisar neste blog
 
Visitantes
blogs SAPO